relevant to orgasm, absence of African mango diet pills african mango
mai 22
O primeiro PAPO DE MESTRE é com : LYNN ALVES

lynn-alves3

Nome Completo: Lynn Rosalina Gama Alves
Idade: 46 anos.
Formação: Pedagogia com Mestrado e Doutorado na área de Educação e Comunicação pela Universidade Federal da Bahia.
Especialização: Psicopedagogia e Metodologia do ensino superior.
Disciplinas: Na graduação leciona a disciplina Psicologia da Educação. No mestrado já trabalhou com Educação e Tecnologia, Pesquisa e Educação e, Teoria dos Jogos Eletrônicos, atualmente trabalha com a disciplina Mídia e Cotidiano.

1- Por que a escolha pela vida acadêmica?
Eu sou apaixonada por essa vida da universidade. Adoro pesquisa, gosto muito dessa coisa de está pesquisando,investigando e tentando desvendar o processo de ensino-aprendizagem. Inquietações relacionadas à dificuldade de aprendizagem me trouxeram para aonde eu estou. O dever de tentar desvendar a forma com o sujeito aprende, como lida com as dificuldades e como as supera, fizeram com que eu buscasse me especializar e qualificar na área de educação.

Depois de certo tempo, me identifiquei bastante com as questões das tecnologias. Tive a oportunidade de através da pesquisa e dessa minha vida acadêmica atrelar coisas que gosto muito: aprendizagem, psicanálise e tecnologia. Então, a escolha pela vida acadêmica foi com o objetivo de tentar responder, inicialmente, as minhas inquietações da aprendizagem e posteriormente da aprendizagem mediada pela tecnologia.

2- O que mais gosta e o que menos gosta em sua profissão?
Gosto muito de fazer pesquisa, de dar aula e de trabalhar com jovens, meus bolsistas. Eu aprendo muito e me sinto energizada em ficar cercada de tantos jovens, de tanta vida, de tantos olhos brilhando e todas essas energias que o jovem possui. Gosto dessa dinâmica, de poder socializar as coisas que eu sei para poder trocar com as pessoas.

Não gosto da falta de respeito como somos tratados, da falta de estrutura para que possamos realizar um projeto e poder concretizá-lo, da burocracia e da lentidão.

3- Se não fosse professora que outra profissão exerceria?
Você acredita que eu já me perguntei isso algumas vezes? E eu não sei a resposta. Eu acho que seria professora de novo. Eu não saberia fazer outra coisa. É engraçado…, eu sou professora porque minha mãe dizia que filho de pobre tem de ser professor, e minha mãe é professora, das filhas dela sou a única professora.

4- Por que escolheu atuar UNEB?
Eu sou apaixonada pela UNEB. Ela tem vários problemas, mas eu gosto muito da minha universidade. Eu me sinto bem aqui. Sou apaixonada por algumas pessoas e, pelo reitor em especial. Então eu me sinto muito feliz aqui.

Quando eu viajo e fico fora, por exemplo, eu sinto saudade da UNEB, é estranho dizer isso, mas aqui é o meu lugar, me sinto livre para criar, pensar, ter liberdade de ir e vir. A UNEB é uma universidade que me deu muito e permite que eu realize meus sonhos profissionais. É um espaço que gosto de trabalhar.

5- Qual acontecimento na UNEB que teve grande importância em sua vida?
É difícil… Um marco para mim foi a aprovação do projeto de jogos eletrônicos. Graças a isso, tenho uma sala de pesquisa onde sou responsável por um grupo de estudantes. É o espaço vivo onde tem pessoas com diferentes saberes circulando. Criamos um espaço de formação na área de jogos eletrônicos dentro do estado do Bahia. Neste sentido a UNEB marca um lugar diferenciado em relação a outros estados, fora do Brasil também.

Outro marco foi a aprovação do edital do FINEP para o desenvolvimento de jogos eletrônicos para educação. Isso criou uma trajetória muito importante, não só para mim, mas para todas as pessoas que trabalharam no projeto.

6- Como é seu relacionamento com os alunos?
É difícil dizer como é, mas para mim é um bom relacionamento, tranqüilo, aberto e às vezes rígido também.

Eu crio espaços para que eles possam verbalizar suas angústias e falar de suas coisas. Crio espaços para essa interlocução em torno de alguns conceitos que trabalho. Na graduação, trabalho com a disciplina Psicologia e acredito que ela permite que a relação professor-aluno seja tranqüila, colaborativa e de intercâmbio. Não diria que é harmônica, porque não existe harmonia com uma sala que tem uma diversidade muito grande. Algumas vezes vivi situações em que tive que repensar minha postura, outras vezes fiz com que eles repensarem a deles, e é uma relação de troca. Para mim é um relacionamento que atende as minhas expectativas enquanto professora.

7- A UNEB por Lynn Alves
A UNEB significa a minha ”Passárgada”, de Manuel Bandeira.