relevant to orgasm, absence of African mango diet pills african mango
ago 13

arquivo google

Imagem: Arquivo Google

A sugestão de pauta da vez é da professora Lúcia Leiro. A professora, que desenvolve estudos e trabalhos sobre o ambiente virtual e mantém um blog (http://lucialeiro.wordpress.com/) mandou sua sugestão e, o que é muito bom, disse o que pensa sobre o assunto. Então, para os blogueiros de plantão: será que blog e educação podem se relacionar? O blog seria uma nova possibilidade educativa? Lúcia Leiro vai dizer à gente o que ela pensa sobre isso.

Começando a discussão a professora Lúcia Leiro destaca que antes mesmo de discorrer sobre os blogues na perspectiva educativa é importante falar sobre a palavra “educativo“: “Talvez o termo mais adequado fosse blogues escolares e blogues acadêmicos, respectivamente para os blogues construídos por professores e alunos das escolas dos níveis fundamental e médio e universidades, já que a educação não se restringe a esfera formal, institucional”. Ela defende ainda que basta que professores e estudantes vejam a tecnologia como espaço para produção e divulgação de conhecimento e interação entre sujeitos para que os blogues possam ser adotados com propósito “escolar ou acadêmico”.
O uso de blogues na educação também envolvem e contribuem para a interatividade nos processos de construção e troca de conhecimentos: “A produção do blogue já envolve a interatividade desde o momento de sua concepção. Em geral, dão ótimos resultados quando feitos por pequenos grupos. Estes discutem o tema, organizam a pesquisa e produzem conhecimento de forma coletiva. Do ponto de vista da avaliação, os blogues favorecem o redimensionamento do que se entende por avaliar, já que a preocupação do aluno é muito mais em divulgar um blogue criativo, propositivo, comunicativo que faça com que os internautas interajam do que a busca pela nota exclusivamente. O blogue contribui para uma maior autonomia da escrita, evitando as cópias”.
Como nada possui apenas vantagens o uso de blogues como uma possibilidade educativa também tem suas dificuldades. Aliás, para Lúcia Leiro uma dificuldade, de ordem cultural. “Alguns alunos têm dificuldades com esse espaço, mas o problema é logo sanado quando fazemos uma aula no laboratório de informática. No mais é somente vantagem. A graduação deve estimular e exercitar a pesquisa e esse resultado precisa ser divulgado, apresentado para a comunidade e o blogue pode ajudar nisso. O conhecimento foi feito para circular pelo mundo e não para ficar no fundo das lixeiras, perdido e amassado”.

Como estamos falando em interação e em educação não podemos deixar os estudantes fora dessa discussão, certo? Então, para dizer o que pensa sobre blogues e educação continuaremos essa conversa amanhã, com Thamires Almeida, estudante do Campus I. Até mais!