relevant to orgasm, absence of African mango diet pills african mango
dez 23

ed-94

Dica da semana

A dica da vez é curtir o Natal Remix Pelourinho 2009. A programação natalina do Pêlo está repleta de atividades interessantes como: apresentações de ternos de reis, filarmônicas, shows e a Missa do Galo. A novidade são DJ’s, destaques no cenário baiano e nacional, que abrilhantarão ainda mais a festa. A iniciativa é da Secretaria de Cultural do Estado da Bahia, através do Programa Pelourinho Cultural que objetiva movimentar o fim de ano dos baianos. Confira a programação: http://www.pelourinho.ba.gov.br/2009/12/09/natal-no-pelo.html

Por Fabiana Baqueiro, Relações Públicas da Ascom/UNEB.

Para ler e TR na íntegra clique aqui!

dez 18

canecas

Sustentabilidade. Mais que uma palavra ou um discurso é preciso que tenhamos ações sustentáveis. Pensando nisso o NUMA – Núcleo de Estudos do Meio Ambiente está promovendo o Projeto Recicla UNEB. Como parte do projeto o campus I da universidade está adotando o uso de canecas. Isso mesmo! Diferentes setores da universidade já receberam canecas que substituirão os conhecidos copos descartáveis, uma forma simples de contribuir para a diminuição da poluição ambiental, já que uma só pessoa, tomando dois cafés por dia, consome 60 copinhos ao final de um mês. Imagine então, ao final de um ano? Por enquanto a medida está sendo implementada em Salvador, mas o ideal é que se estenda a todos os campi da universidade. Enquanto isso, dê sugestões de outras formas para contribuirmos com o meio ambiente. Participe da campanha! Use a sua caneca!

dez 18

ed-93

Dica da semana

Mais um ano finda. Como de costume mais promessas, mais desejos e a sensação de renovação. Se natural ou não ninguém se atreve a afirmar, mas o fato é que fim de ano é quase sempre uma época de balanços e reflexões. Quando pensamos em tudo o que fizemos, em tudo o que prometemos fazer, em tudo o que gostaríamos de ter feito. Algumas vezes nos damos conta de que fizemos muito! Em outras, fica a sensação de que podíamos ter feito mais. Podíamos ter perdido mais a cabeça, ou podíamos ter sido mais prudentes. Ter trocado o estilo, reescrito a história… E dá vontade de mudar toda a história ou revivê-la igualzinho! Dá vontade de fazer tanta coisa! Ter sido mais presente, dado mais atenção àquela pessoa, que pode ser um parente, um amor, um amigo. Ou então, fica a sensação boa de que valeu a pena cada momento convivido, e que bom seria reviver tudo… Dar os mesmos risos, os mesmos abraços ou até derramar as mesmas lágrimas e sentir a mesma mão amiga que te apoiou. Aí a gente se pergunta: o que fazer no ano novo? Sabe-se lá o que fazer no ano novo! Talvez a dica seja simplesmente viver cada dia do ano novo, não como o ano novo, mas como um ano único e especial que não vai voltar. Dia 1° ele vai chegar. Ficará por 365 dias. Depois vai embora. E então, se você aproveitar cada dia, como um único dia, que não vai voltar, talvez no próximo fim de ano ainda haja um monte de coisas por fazer (e que bom será que haja!). Mas você terá uma certeza: que cada dia valeu, foi especial. E mesmo que nem tudo tenha dado certo valerá a pena, mais uma vez, relembrar os bons momentos, as sensações, as companhias…

Por Janine Falcão, Relações Públicas da Ascom/UNEB.

Para ler e TR na íntegra clique aqui!

dez 15

Tags:

dez 14

Tags:

dez 11

fotos-residencia-estudantil-194

Em mais um dia de discussão sobre Assistência Estudantil dessa vez é a instituição, por meio da Assessoria de Comunicação (ASCOM), que aborda o tema.

“Assistência Estudantil é sempre um dos principais temas de debates no âmbito acadêmico. Envolve fatores administrativos, políticos, financeiros e tantos outros que motivam a sua complexidade. Não há, por exemplo, uma rubrica própria para assistência estudantil no orçamento do estado. Ou seja, o orçamento da instituição não cobre investimentos específicos em assistência estudantil. Como conseqüência, os recursos destinados à área, investidos em ações como transporte, bolsas, residências e apoio a participação em eventos, entre outros, originam-se de parcerias e muito esforço da Universidade, a partir da Pró-reitoria de Extensão (Proex). De fato, sabe-se que há muito a mudar ainda. E é por reconhecer essa necessidade que a atual administração definiu como prioridade para 2009 a implantação do Programa de Assistência Estudantil (PAE). Durante o II Fórum de assistência estudantil, realizado em maio deste ano, foram discutidas questões sobre o tema e o uso de recursos na área com ampla participação dos estudantes por meio de suas representações. A partir do PAE, a UNEB realizou investimento de R$1,5 milhão, considerando as principais demandas apontadas pelos discentes. De acordo matéria publicada na edição nº 22 do Em Campus (2009, p.6) a Pró-reitora de Extensão, Adriana Marmori, afirmou que o investimento em assistência estudantil é uma prioridade porque beneficia e colabora para que os estudantes se mantenham na universidade. Essa concepção é que tem contribuído para que paulatinamente seja aumentado o número de bolsas de extensão, o apoio oferecido para que os estudantes possam participar de eventos acadêmicos e mesmo o número de residências estudantis mantidas pela UNEB. Dos 24 municípios em que a UNEB mantém campus 12 contam com residências estudantis (Salvador, Alagoinhas, Juazeiro, Barreiras, Guanambi, Bom Jesus da Lapa, Eunápolis, Camaçari, Ipiaú, Euclides da Cunha, Seabra e Xique-Xique), e a verba destinada a assistência entre 2008 e 2009 teve aumento de quase 500%. Outro passo importante dado pela UNEB no que tange a Assistência Estudantil foi a recente aprovação da criação da Pró-Reitoria de Assistência Estudantil (Praes), ocorrida no último Conselho Universitária (Consu), em 1° de dezembro deste ano. A Praes será responsável pelas ações voltadas a assistência estudantil, que hoje são de responsabilidade da PROEX, e representa uma conquista dos estudantes, que passam a ter um espaço independente, dedicado exclusivamente ao atendimento de suas demandas. Assim, sabemos que ainda há muito a melhorar, desenvolver novas ações, sob uma perspectiva duradoura e permanente. Mas é preciso também reconhecer o quanto já evoluímos, o quanto conquistamos nos últimos anos. E os estudantes são essenciais nessa busca por melhorias, sobretudo porque conhecem de perto as demandas mais urgentes e podem contribuir para que novos investimentos sejam realizados de forma cada vez mais adequada e eficaz.”

Estudantes, servidores e gestores expressaram por aqui opiniões sobre o assunto. Mas isso não significa que a discussão tenha acabado. Comente, dê sugestões, proponha, diga o que pensa e como acredita que podemos obter resultados ainda melhores. Até a próxima sugestão!

dez 11

lavando-a-roupa-suja-ii

Hoje, 11 de dezembro, tem teatro na UNEB! A iniciativa é de estudantes do curso de Relações Públicas, Campus I, que promovem a montagem do monólogo Lavando a Roupa Suja. A peça narra a história de mulher negra, mãe solteira, lavadeira e de baixa escolaridade, que encontra na leitura a liberdade; e integra a Campanha Internacional 16 dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres. A peça traz no elenco o ator baiano Antônio Soares, e tem a direção de Kleber Sobrinho. Os ingressos (R$5,00) podem ser adquiridos com Luciana Bahia, estudante de RRPP, no Teatro UNEB, das 8h às 12h e das 14h às 18h.

Serviço
O quê?
Peça Lavando a Roupa Suja
Onde?
Teatro UNEB
Quando? 11 de dezembro, sexta-feira, às 20h
Quanto? R$5,00

Mais informações
Luciana Bahia - (71) 8607-3297
lucianalbahia@yahoo.com.br

Para ver o folder do evento clique aqui!

dez 10

ed-92-copy1

Dica da semana

Final do ano chegando, muito clima de festa e alegria, mas não podemos esquecer de quem talvez não possa ter a mesma felicidade que a gente nesse Natal. E para ajudar algumas crianças que só desejam receber um presente do nosso querido bom velhinho, o Papai Noel, fica a dica de participar do projeto Árvore dos Sonhos que visa ajudar crianças de diversos orfanatos e creches da cidade. É bem simples, basta ir até o Shopping Barra, retirar uma cartinha da árvore de natal e até o dia 15 adquirir o presente que consta no cartão, sendo este uma roupa ou brinquedo, ficando ao seu critério. No mais é isso, vamos colaborar.

Por Leonardo Carvalho, Repórter Fotográfico da Ascom/UNEB.

Para ler a TR na íntegra, clique aqui!

dez 07

logo_aduneb

Continuando nossa discussão sobre Assistência Estudantil hoje quem apresenta sua opinião sobre o assunto é a Associação dos Docentes da Universidade do Estado da Bahia (ADUNEB). Para a associação mais importante que investir em alternativas pontuais é fomentar uma política permanente de assistência estudantil. Assim, torna-se necessário lutar por ações duradouras e consistentes.

“Acreditamos que uma das mais importantes funções da Universidade é contribuir com a democratização da sua própria estrutura. Nesse sentido, a adoção de uma política que amplie o acesso e garanta a permanência de todos os estudantes ingressos na instituição universitária, torna-se imprescindível. Por isso, defendemos uma assistência estudantil que promova as condições necessárias ao estudo, subsidiando entre outros aspectos, acompanhamento psicopedagógico, transporte, creche, residência, acessibilidade a portadores de deficiência, restaurante universitário, saúde, acesso à cultura, esporte e lazer. Trata-se de uma política séria que não só busque garantir recursos para o bom desempenho individual, mas também invista em benefício da coletividade, contribuindo estrategicamente, para o desenvolvimento científico e tecnológico do país.”

Amanhã continuamos o papo com mais uma opinião sobre o assunto. Enquanto isso você pode comentar, escrever, dar sua opinião…
Ah! Para quem quiser conhecer um pouco mais sobre a Aduneb é só acessar www.aduneb.com.br

dez 05

fernando

Como combinamos ontem vamos continuar nossa discussão sobre assistência estudantil. E para expressar sua opinião sobre o assunto hoje quem escreve é Fernando Barros. Estudante do Campus I ele apresenta suas ideias sobre o tema discutido.

Assistência Estudantil por Fernando Barros, estudante do Campus I

“Assistência estudantil é um assunto que merece estar na ordem do dia. Recentemente, foram divulgadas na imprensa estatísticas que dão conta do cada vez mais crescente acesso de jovens oriundos das classes D e E ao ensino superior no país. A situação que provavelmente tenha sido comemorada pelos que acreditam na educação nos coloca diante de algumas questões. Para além de garantir, o acesso desses jovens, é preciso planejar maneiras e prover os meios de garantir a sua permanência nas universidades. Infelizmente, ainda vivemos numa realidade em que os indicadores sociais não são satisfatórios. Devido à insuficiente renda familiar, para muitos jovens, frequentar uma universidade é quase um luxo. Os custos com transporte e alimentação são altos, há a necessidade de livros e outros materiais e existe também dificuldade no acesso a muitos bens culturais, o que acaba demandando esforços no sentido de garantir plenas condições para que estes estudantes concluam a graduação, com qualidade. Excelência acadêmica é também ter atenção com os possíveis desníveis. Pensar essa problemática é um desafio a ser topado por todos: universidades, estudantes, governo e sociedade civil. No caso da Uneb, não sei sobre como andam os programas de assistência estudantil. Sei vagamente que existe; já ouvi também algumas queixas quanto a uma política mais ativa por parte da universidade, mas sinceramente não posso opinar.”

Bom, já deu para perceber que o tema proposto gera muitas falas e incita outras tantas questões que permeiam o assunto. Por isso nossa discussão não finda hoje. Na seguda tem mais um posto sobre o assunto. Enquanto isso, continua mandando suas ideias e comentários.