relevant to orgasm, absence of African mango diet pills african mango
out 30

novembro-negro-25

(Texto: Dilvan Azevedo - NuRP/Ascom)

A Secretaria de Promoção da Igualdade Racial do Estado da Bahia (SEPROMI) divulgou, na última sexta-feira (26/10/2012), a lista final de projetos que serão contemplados pelo Edital Novembro Negro 2012.

Foram selecionadas as propostas, apresentadas por entidades baianas sem fins lucrativos, com foco na promoção da igualdade racial e na garantia de direitos da população negra e de povos e comunidades tradicionais.

Os projetos encontram-se distribuídos para atender a três categorias: apresentações públicas e manifestações culturais, que envolve atividades como caminhadas, marchas, peças teatrais, shows, festivais, saraus e concursos; a categoria formação em promoção da igualdade racial, que considera como modalidades os seminários, congressos, simpósios, fóruns, mesas redondas, palestras, rodas de diálogos, oficinas ou os cursos para a formação na dimensão racial; e a categoria registro e memória, que tem como modalidades a produção audiovisual, as exposições e as publicações.

Todas as iniciativas deverão acontecer durante o mês de novembro de 2012, como parte das homenagens ao Dia Nacional da Consciência Negra.

A lista dos projetos contemplados e das entidades proponentes pode ser conferida no site da SEPROMI, por meio do link

http://www.sepromi.ba.gov.br/modules/noticias/item.php?itemid=589

out 29

Como parte das atividades propostas pelo Projeto de Extensão Vivências 2012 da UNEB, estudantes do Departamento de Ciências Humanas – Campus I, organizam palestra sobre ‘Juventude, Família e Sociedade’. O evento, que é aberto ao público, tem como principal objetivo discutir a importância da família na formação do indivíduo e, consequentemente, na forma como ele se relaciona no meio social.

O evento terá início às 16h do dia 30/10 e acontecerá na Casa da Cidadania/Pacto Pela Vida no bairro do Beirú/Tancredo Neves – próximo ao condomínio Arvoredo.  O palestrante convidado será o Prof. Dr.° Antônio Dias Nascimento, sociólogo com Vasta experiência em projetos para jovens carentes.

Mais informações: (71) 3117-2455.

Texto: Graziele Mercês.

out 29

Autor: Caio Lauer

Existem pessoas que, quando colocadas em situações de pressão ou estresse, sabem que não podem perder o controle das emoções. Nestes casos, buscam saídas como respirar fundo e lavar o rosto no banheiro. Estes recursos são exemplos simples para ilustrar a resiliência, pois um dos fatores que compõe esta competência é a tolerância. Do mesmo modo que, intuitivamente, alguns desenvolvem estes pontos de equilíbrio, estudiosos criaram técnicas para este intuito.

A resiliência é uma competência influenciada pelo estilo de vida do indivíduo. Quanto mais ganhamos consciência sobre as próprias reações e comportamentos diante de situações de pressão e desafios, por exemplo, mais dominamos estas questões. Nas empresas, após um período longo de enxugamento no quadro de funcionários e aumento da competitividade, o ambiente de trabalho se tornou altamente estressante.  “A resiliência é a capacidade de uma empresa, um líder, uma equipe ou talento, promover as transformações necessárias para alcançar o seu propósito. Você é resiliente quando cresce nas mudanças, inova, se antecipa às situações e produz coerência estratégica para sua equipe e clientes. Sua influência como um ser resiliente precisa ter mais impacto proativo e orientado para o futuro”, explica Eduardo Carmello, palestrante especialista no tema.

Empreendedores e líderes vivem, por si só, sob demandas desafiadoras e cheias de pressão. Estes profissionais convivem em ambientes e atuam em situações de alto risco, onde conviver com crises é um fato normal. “Vivemos uma realidade onde crises econômicas e turbulências acontecem em períodos cada vez mais curtos. As empresas estão sendo desafiadas, e por consequência, os dirigentes destas organizações também. Estes profissionais precisam ter sangue frio e capacidade de enfrentar situações inusitadas, com desfechos, muitas vezes, negativos”, comenta Paulo Sabbag, professor da Fundação Getúlio Vargas. De acordo com o professor, para organizações mais estruturadas e com RHs mais completos, identificar profissionais com resiliência vem se tornando uma premissa.

Conceito de resiliência provém da Física

O que faz um prédio não sucumbir a um terremoto é a conjunção de força com flexibilidade, o que caracteriza a resiliência. Desde o século XVII se estuda os corpos elásticos por meio da Física, e a psicologia utilizou-se desta analogia para transpor ao universo empresarial o poder de profissionais, submetidos a condições extraordinárias (adversas ou desafiadoras), voltar a suas rotinas consideradas normais.

“Ser mentalmente flexível é necessário para lidar com novos problemas ou ações pouco estruturadas. Considero a resiliência como a competência mais importante desta primeira metade do século XXI”, aponta Sabbag.

10 dicas de como desenvolver a resiliência

Há 20 anos, o mercado corporativo exigia que as pessoas assumissem mais riscos. Hoje, fica o que se valoriza é conviver com estes desafios. Levantamos 10 dicas para desenvolver esta competência:

· Procure, na medida do possível, protagonizar as situações;

· Visualize o futuro próximo e antecipe tendências e acontecimentos;

· Crie um significado para a sua realidade;

· Procure conhecer a verdadeira dimensão do problema;

· Separe quem você é do que você faz;

· Procure desenvolver relacionamentos significativos;

· Aprenda a enxergar as soluções;

· Reconheça seus sentimentos e necessidades de seu corpo;

· Tenha como parceiro constante a Criatividade e Inovação;

· Cultive e valorize seu poder de escolha.

As características do profissional resiliente precisam ser “manifestadas” nos momentos de complexidade e mudança, não apenas nos momentos de conforto, estabilidade ou conveniência. “O ser resiliente é aquele que está saltando continuamente, renovando e transformando-se sempre. É uma pessoa impulsionada por um propósito maior, proativa e que constrói realidades”, completa Carmello.

out 25

 

ed-237

 

 

Em comemoração à Semana do Livro, acontece na Biblioteca Edvaldo Machado Boaventura a exposição Paralaxis: Diferentes Olhares, dos artistas plásticos André Araujo, Claudia Cedraz, E. Pimenta e Onaldo Dantas. A mostra vai estar aberta a visitação pública entre os dias 26 de outubro a 26 de novembro, no mezanino da biblioteca do Campus I. Das 8h às 21h. Grátis. 

 

Por Fernando Novaes, Relações Públicas da Ascom/UNEB.  


Para ler a TR na íntegra,
clique aqui!

out 17

COMUNICADO

Por motivo de força maior, a Universidade do Estado da Bahia (UNEB) informa o adiamento da outorga do título de Doutor Honoris Causa ao Prof. Dr. Roberto Figueira Santos, agendado para o dia 18 de outubro de 2012.

Em breve será informada nova data da outorga.

Salvador, 11 de outubro de 2012.

Gabinete da Reitoria

out 15

cafe-academico-2c2ba

out 11

Autor: Caio Lauer

O lato sensu é o tipo de pós-graduação mais praticada por profissionais e estudantes de todo o Brasil. Segundo último levantamento da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a maioria dos 330 mil estudantes de pós do país está em um curso lato sensu.

A explicação deste número pode estar na natureza deste tipo de curso. Ele permite cursá-lo enquanto o indivíduo prossegue na atividade profissional e tende a ter maior foco na aplicação prática dos conceitos, melhorando a atuação profissional. “Um curso de pós-graduação pode ser iniciado a qualquer momento da carreira. O ideal é que a pessoa tenha alguma experiência profissional, pois assim, poderá aproveitá-lo melhor, comparando aquilo que está estudando com a bagagem que possui. Existem cursos adequados para diversos momentos de carreira e níveis de conhecimento”, explica Tiago Sereza, gerente da Catho Educação.

As exigências das empresas para realizar contratações estão aumentando cada vez mais e a realização de cursos relacionados com o objetivo de carreira fortalece o currículo. Novos conhecimentos possibilitam repensar a forma como o trabalho é realizado, podendo trazer aumento de produtividade do profissional e da equipe na qual está inserido. De acordo com Sereza, é importante verificar se o conteúdo do curso está de acordo com a expectativa do profissional e qual seu público alvo. “Esta análise pode fazer uma grande diferença”, aponta.

Quando se decide fazer uma pós, o conteúdo programático deve ser bem analisado, comparando universidades e grades curriculares. É importante avaliar se existem disciplinas diferenciadas que vão agregar no desenvolvimento e na reciclagem profissional. Segundo Marcela Buttazzi, diretora da MB Coaching, todos nós precisamos buscar novos conhecimentos para continuarmos ativos no mercado e conquistarmos nossos espaços. “A pós-graduação não é mandatória, porém, deve ser escolhida corretamente para não haver perda de tempo e dinheiro. Escolher um curso errado pode fazer com que os concorrentes saiam na frente”, alerta.

Escolher o momento correto para cursar um lato sensu também é fundamental. O mercado está exigindo muito do profissional, mas é necessário ter o feeling de saber a ocasião correta para cursar uma pós. “Vejo que, de alguns anos para cá, as pessoas se formam na faculdade e, na sequência, já decidem realizar uma pós, mas não têm tanta certeza de que tipo de curso devem realizar. Em muitos casos, deve haver o amadurecimento da profissão antes de ingressar em um curso desta natureza, que exige uma vivência profissional”, opina a diretora.

Além do recurso financeiro, conciliar estudo e trabalho é um desafio. A pós é um investimento de, no mínimo, um ano, em uma área na qual o indivíduo opta por seguir carreira. Às vezes, pode não ser a escolha certa. “Recomendo aguardar um ou dois anos após o término da graduação para iniciar uma pós, pois é um tempo suficiente para se desenvolver profissionalmente e se autoconhecer”, diz Butazzi.

Diferenciais

A pós-graduação pode fazer a diferença em um processo seletivo. O recrutador, na hora de uma contratação, avalia a formação acadêmica em conjunto com uma série de outros fatores, como a experiência do profissional, suas realizações e características pessoais.

Uma prática cada vez mais vista no mercado são os cursos no exterior. As organizações valorizam questões como aprimoramento de uma segunda língua e amadurecimento pessoal. “Cursos de pós-graduação no exterior agregam no aspecto cultural e de vivência, fatores cada vez mais valorizados pelas empresas. No momento de uma disputa de vaga, o profissional que estudou em um país estrangeiro sai na frente”, indica Butazzi.

Já para o gerente da Catho Educação, o mais adequado é que esta pós-graduação no exterior possibilite uma boa preparação para o cargo pretendido. “Vale a pena pesquisar com atenção quais seriam as melhores instituições e quais os cursos que atendem a este propósito”, completa.


out 06

luckesi-final2

O QUÊ?!

“Educação, Ludicidade e Desenvolvimento”

 

QUEM?!

Cipriano Luckesi

 

QUANDO?!

Dia 23 de Outubro de 2012, às 17h

 

ONDE?!

Centro de Cultura Olívia Barradas – Valença

 

QUANTO?!

Os ingressos estão a venda na UNEB,  Livraria Criativa, e grafica Prisma/ Jornal Valença Agora. R$=25,00

 

POR QUÊ?!

Promover um espaço de discussão em torno do tema ludicidade, assim ampliando a formação dos educadores, visto que a temática é de grande relevância para a ressignificação das práticas docentes, pois demonstra novos caminhos para uma aprendizagem significativa.

 

PÚBLICO-ALVO?!

Profissionais da educação, estudantes e demais interessados na temática (de todos as cidades e campi).

 

QUEM?!

Comissão de Formatura 2012.2

 

INFORMAÇÕES?!

ludicidade.uneb@gmail.com

out 05

sem-titulo

O que é o Brechó?


O Brechó Eco Solidário, realizado desde 2006 em Salvador, é um grande mercado de trocas de bens usados através da moeda social Grão. Trata-se de um importante evento de economia solidária que propõe novas formas de consumo, mais saudáveis, com menos desperdício e priorizando produtos das cooperativas de economia solidária. Além da feira de trocas, ocorrerão atividades de educação ambiental, oficinas de automassagem, rodas de debates e muito mais. A organização do evento é autogestionária e conta anualmente com aproximadamente 300 voluntários.

Os preparativos para o evento se iniciam em março de cada ano, com reuniões mensais da coordenação. Além disso, há um momento de integração e preparação dos voluntários interessados, a partir de agosto. Cada voluntário atua como uma peça fundamental, participando das comissões de preparação do evento, como posto de trocas itinerante e na triagem de materias.

Quando Ocorrerá o Brechó?

Nos dias 20 e 21 de outubro de 2012, no Parque da Cidade, em Salvador, no horário de 9:00 às 17:00.

Como Participar das Trocas?

Reúna seus amigos, primos, vizinhos, grupos de encontros, amigos do facebook e apresente a proposta do Brechó para eles. Separe produtos em perfeito estado de conservação e uso e vá a um dos postos de troca do Brechó para trocar pela nossa moeda social, o Grão. Com esta moeda, no dia do evento você poderá adquirir outros produtos.

O que pode ser trocado? Roupas, objetos de decoração, brinquedos, jogos, eletrodomésticos, equipamentos eletrônicos, livros, sapatos, bolsas, bijuterias, óculos, utensílios de cozinhas, móveis, etc. Mas não esqueça: tudo bem novinho, limpo e em perfeito estado de conservação e disponível para uso!

Postos de Trocas:

http://www.brecho-ecosolidario.blogspot.com.br

O Brechó nas Redes Sociais:

http://www.facebook.com/brechoecosolidario

https://twitter.com/#!/brechoecosol

Ainda está com dúvidas? Entre em contato:

brechoecosol@gmail.com

(71) 3334-0695| 9963-6162 (Rede)

out 03

programacao_seminario_final

Como parte das atividades do Grupo de Pesquisa em Cultura e Subalternidades, acontece, dos dias 15 a 19 de outubro, das 17h00 às 18h30, no auditório do PAF V da UFBA, em Ondina, o II Seminário Cultura e Subalternidades.

O evento, coordenado pelos Professores Marinyze Prates, Maurício Matos e Denise Carrascosa, tem como objetivo promover a reflexão interdisciplinar acerca dos significados e dos valores postos em circulação na produção cultural brasileira, privilegiando-os como lugares de observação dos diferentes processos de construção das relações de poder na contemporaneidade.

Em funcionamento desde 2010, o Grupo de Pesquisa em Cultura e Subalternidades é filiado ao Instituto de Humanidades, Artes e Ciências Professor Mílton Santos (IHAC), ao Centro de Estudos Multidisciplinares em Cultura (CULT) e ao Programa Multidisciplinar de Pós-Graduação em Cultura e Sociedade (Pós-Cultura).

O evento contará com apresentações de trabalhos e duas conferências, de abertura e encerramento, a serem proferidas respectivamente pela Profa. Dra. Eneida Leal Cunha (PUC-RJ/UFBA) e pelo Dr. Phil. Vinícius Mariano de Carvalho (Universidade de Aahus-Dinamarca).

Serão conferidos certificados aos participantes e as inscrições, gratuitas, serão realizadas nos dias e horários do evento. Clique no link abaixo para conhecer o site do grupo e ver a programação do evento.

www.gpsubalternidades.ufba.br

Texto: Comissão de organização