relevant to orgasm, absence of African mango diet pills african mango
mai 14

seai_di2

Construir uma universidade diferente, verdadeiramente democrática, cujo vetor de demandas seja de baixo para cima, trabalhar sem trégua para buscar o entendimento e soluções dos problemas da instituição.  Esses são os maiores objetivos do professor Ricardo Moreno e da equipe por ele comandada na nova Secretaria Especial de Articulação Interinstitucional (SEAI) da UNEB.

“Encarei o convite do reitor para assumir o cargo como um desafio. Afinal, a alegria do guerreiro é a guerra, que considero meu habitat natural”, diz, bem-humorado, lembrando que, inclusive, optou por pedir o afastamento do doutorado em História, que cursa na Universidade Federal Fluminense (UFF), para se dedicar integralmente à SEAI.

Ricardo Moreno sabe que, para edificar esta universidade mais democrática e justa, é preciso começar por “aprender a institucionalizar a instituição”, frase que ele toma emprestado do falecido professor Fellipe Serpa, ex-reitor da Universidade Federal da Bahia (UFBA).

Trocando em miúdos, a expressão de Serpa sugere que se valorize a instituição e os seus procedimentos e normas regimentais, eliminando antigas práticas de favorecimento e privilégios.

O comandante da SEAI também tem plena consciência do abrangente processo que uma mudança como essa requer. “Mudar mentalidades, mudar uma cultura – que está enraizada na administração pública de todo o país – leva bem mais tempo. Trata-se de modificar a relação que as pessoas têm com o poder. E isso não se resolve por decreto”, avalia.

A confiança nestes novos tempos vividos pela UNEB, entretanto, recarrega diariamente o ânimo do professor Ricardo para enfrentar a jornada de trabalho. “A grande maioria da equipe da atual gestão é formada por pessoas novas, uma nova geração que chega, com muita disposição para mudar. E sentimos que contamos, para isso, com o apoio de boa parte da comunidade acadêmica”.

Gestão inova com secretaria

A UNEB talvez seja a primeira universidade do país a contar com um setor, no primeiro escalão da administração, com a abrangência e competências da Secretaria Especial de Articulação Interinstitucional.

As pesquisas e consultas realizadas pelo professor Ricardo Moreno apontam para esse pioneirismo da instituição: “Até o momento, não encontrei em nenhuma universidade brasileira um órgão que trate tanto da articulação externa quanto da interna”.

A principal tarefa da SEAI é promover as relações políticas da UNEB com a sociedade civil organizada – movimentos sociais, entidades de classe, terceiro setor, empresas e poderes públicos –, mas também voltar os olhos para dentro de casa, quer dizer, construir instrumentos de diálogo entre os diversos setores e departamentos com a Equipe Central de Gestão.

Conforme o professor Ricardo Moreno, a Lei estadual 7.176/97 prejudicou muito o diálogo entre os departamentos e a administração central, porque retirou a autonomia administrativa e financeira das unidades. “Nosso trabalho é tentar reconstruir essa ponte”, assinala.

2014 vai ser um ano difícil

moreno-200x300

Ricardo Moreno: equipe está decidida a superar adversidades

Além dos entraves legais de longa data, o primeiro ano da atual gestão universitária está descortinando uma realidade bem desfavorável. “Já identificamos até agora cerca de R$ 14 milhões de DEA (despesas de exercícios anteriores). Em janeiro, pensávamos que essa conta ficaria em R$ 12 milhões, mas a cada dia descobrimos novas despesas deixadas pela gestão passada”, conta o professor Ricardo Moreno.

Outro fator de aperto financeiro para a universidade, destaca o docente, está no contingenciamento de verbas realizado pelo governo estadual. “Não recebemos recursos para novos investimentos, para obras. Isso compromete seriamente o atendimento às demandas dos departamentos e da comunidade acadêmica em geral. Por força dessa conjuntura, prevemos um 2014 muito difícil”.

Segundo o gestor, mesmo com tantas adversidades, a equipe da SEAI, juntamente com os demais setores da Reitoria, está empenhada em responder com celeridade a todos os pedidos que chegam, esclarecendo essa situação.

Vêm aí as conferências inter-regionais

Afora o apoio que a SEAI dá aos setores da administração central e departamentos, viabilizando canais de relacionamento para captar recursos e encontrar soluções de parceria – a exemplo de buscar garantir emendas parlamentares junto à bancada baiana no Congresso Nacional –, a Secretaria Especial tem seus próprios projetos, e que não são nada tímidos.

Para começar, o setor organizou o colóquio Resistência Popular, 50 Anos do Golpe Militar: Ditadura, Lembrar para Jamais Repetir, nos dias 31 de março e 1° de abril passados, em parceria com o Departamento de Educação (DEDC) do Campus I da UNEB. O encontro teve forte repercussão na sociedade e na imprensa, motivando a realização de eventos similares em outros campi da instituição.

Mas, de acordo com o professor Ricardo Moreno, o projeto mais relevante de sua gestão certamente será o das Conferências Inter-Regionais da UNEB. Em fase final de elaboração, a proposta deve ser aprovada nas instâncias competentes nos próximos dois meses.

“Queremos criar, com essas conferências, um canal de escuta da sociedade civil organizada, dos poderes públicos e dos poderes locais junto aos departamentos. Cada encontro regional elaborará um documento final que vai interferir no processo de planejamento e avaliação da universidade, e definir as ações futuras da administração”, adianta.

Ampla participação garante democracia

Com esse processo de ampla participação, a SEAI espera inverter o tradicional vetor de criação de demandas dentro da universidade, que passará a ter origem na sociedade e nos campi em direção à administração central.

A realização das conferências inter-regionais – as quais, a priori, devem seguir os critérios de regionalização das Redes de Gestão Departamental (RGDs) da universidade – está prevista para o início do próximo ano. Durante o segundo semestre de 2014, a Secretaria Especial estará implantando o projeto em cada departamento, compondo as equipes locais e socializando a metodologia do evento.

Como se vê, não faltam trabalho e desafio à enxuta equipe da SEAI. Além do secretário especial e de sua secretária direta, Débora Gomes, a unidade dispõe de uma coordenação geral (vai assumir o posto a professora Luciana Oliveira, do campus de Brumado) e três assessorias: a de relações com os poderes públicos (posto ainda sem indicação), a de relações com empresas privadas (a cargo do discente Marcelo Lemos, ex-coordenador do DCE, o Diretório Central dos Estudantes) e a de relações com a sociedade civil organizada (sob a liderança da técnica administrativa Emiliana Vieira).

O professor Ricardo Moreno é docente de História da África no Campus II, em Alagoinhas, tendo ingressado por concurso na UNEB em 2005. Já atuou na coordenação de programas especiais e como pro-tempore de colegiado de curso. “Essa é minha primeira vez como gestor na universidade. Estou confiante e motivado, quero colaborar com as mudanças que a comunidade almeja”, conclui.

Contato:
Secretaria Especial de Articulação Interinstitucional (SEAI)
Prédio da Reitoria, no Campus I, em Salvador.
Telefone: (71) 3117-2239.
E-mails: jrpinho@uneb.br e degomes@uneb.br.

Leia outra matéria da série UNEB: novas demandas, novos setores:

Com o Censo, SEAVI constata: a UNEB desconhecia a UNEB

Fotos: Juliana Cardoso/Ascom. Arte: Anderson Freire/Ascom

mai 14

O Programa Jovens Talentos da Continental abriu inscrições para vaga de estágio na instituição.

No momento, estão sendo recrutados estagiários das seguintes áreas:

  • Ciências Contábeis;
  • Administração;
  • Engenharia Química ou de Produção.

Os pré requisitos são:

  • Inglês avançado;
  • Disponibilidade para estagiar por pelo menos um ano;
  • Proatividade e comprometimento!

Para se inscrever, é preciso acessa a página vagas.com.br/continental.

continental_jovenstalentos