AMANHÃ - IX Semana de Geografia, EM JACOBINA Na onda do NA CANGAIA
jun 16

gilson

Gilson Dultra, arquivo pessoal

A seção Trabalhos de hoje traz para reflexão um tema muito polêmico e em voga atualmente:  o aborto. GILSON DULTRA, formado em Relações Públicas pela UCSal e membro do NURP, propôs esta reflexão através de um texto opinativo, onde expressa com clareza sua posição sobre a questão no Brasil.

Aborto, por Gilson Dultra

A ideia do aborto em si não é a solução ideal ou mais humana para solucionar uma gravidez indesejada ou um possível parto de alto risco. Porém, no Brasil, as mães são cada vez mais meninas, sem nenhum tipo de planejamento, e que não estão sequer preparadas física, psíquica e materialmente para conceber e formar um novo ser.

O crescente número de gravidez na adolescência não deveria ser justificativa para adoção legal do aborto. Mas a prática, será que a descriminalização do aborto não pouparia muito sofrimento e atos tão desumanos quanto o próprio aborto? Do peso que é a brusca interrupção de uma infância/adolescência para as meninas ao assustador crescimento de casos em que bebês são encontrados em lixos, córregos, esgotos, etc.

O direito à vida é um fato. Em nenhum momento isso é questionável. Mas me parece um tanto cômodo defender tão acintosamente a vida e depois não se preocupar ou não prever em que condições aquele ser humano subsistirá. Se vai ter onde morar, o que comer, o que vestir. Nem vou falar de educação, afeto, lazer, família, etc.

Por que será que as camadas mais pobres em aglomerados urbanos são zonas férteis para proliferação da marginalidade?

Há algum tempo li numa dessas revistas semanais uma pesquisa sobre a taxa de natalidade na cidade do Rio de Janeiro, onde ficou constatado que nas famílias da classe A\B a taxa de natalidade se compara ao de países europeus, dificilmente ultrapassando mais de dois filhos por família. Enquanto na periferia esse número segue a linha dos países pobres da África. Aqui, já nos defrontamos com uma outra rede de fatores de ordem política e estrutural que vem de longas datas, mas que não podemos ignorar no exame do atual contexto social do Brasil. E culpar essa parcela da população seria muito cômodo.

Outro fator inegável é que ilegal ou não, milhares de mulheres se submetem a procedimentos clandestinos para realizar o aborto sem condições mínimas de segurança. Muitas morrem.

É claro que devemos ter cuidado para que a descriminalização do aborto não o torne um método contraceptivo como outro qualquer. Deve ser realizado mediante processos que não permitam a banalização à licença de abortar. Regulamentado por lei, tudo isso poderia ser mais simples.

Enfim, já ultrapassamos a questão de ser a favor ou contra, de seguirmos ou não nossos preceitos religiosos. Mas de sermos pragmáticos em face da atual situação de milhares de mulheres brasileiras.

E você, o que acha?

18 Responses to “Por que não liberar o aborto no Brasil?”

  1. Gabriela Gonçalves Says:

    Abortos sem atendimento médico adequado provocam hemorragias graves, perda do útero e morte.A cada ano, 220 mil mulheres procuram o SUS para fazer raspagens do útero (curetagem), necessárias depois de aborto. Alguns especialistas estimam que sejam realizados 1 milhão de abortos clandestinos no Brasil a cada ano.
    Só as mulheres pobres sofrem com a clandestinidade. As de classe média e as ricas tem medo de serem denunciadas - a pena é de detenção de um a três anos - mas realizam abortos cercadas de todos os cuidados médicos. Leis que restrigem o aborto não reduzem o número de abortos e ainda trazem consequências sociais e de saúde pública que atingem o nível de tragédia.
    Nenhuma mulher gosta da ideia de abortar - seja ela pobre, rica, religiosa ou ateia. Quando se submete a isso tem uma razão de foro íntimo muito forte. Não cabe a ninguém que assista o drama à distância, ser a favor ou contra o aborto.O razoável é dizer que cabe à mulher decidir. Não me parece justo que todas as cidadãs tenham de se submeter a dogmas religiosos que não sejam os seus. Em outras palavras: a fé só faz sentido para quem a tem.Não me parece justo,que todas as cidadãs estão sujeitas a serem comparadas com um assaltante de banco por exemplo,ou seja,uma criminosa.Sou a favor da interrupção seletiva da gravidez,mas antes de tudo, a favor de uma política séria na saúde pública brasileira, para educação sexual em todas as faixas etárias,abordando fertilidade e DST.
    Precisamos pensar e formar uma opinião muito clara sobre este assunto que é de todos nós.

    Abraço
    Gabriela Gonçalves

  2. vanessa Says:

    o aborto no brasil nao pode ser liberado nao…
    ais meninas hoje em dia emgravida e quer tirar um filho por que nao tem condiços pra criar oie maridos emgravida e nem asumir ois seus fiho…por isso que um aborto nao pode ser liberado… :happy: :ninja: :wub: :devil: :blink: :angel: :sick:

  3. Israel Says:

    imaginem se todas as nossas decisões fossem pragmáticas… inclusive as das mulheres quando precisam decidir entre abortar ou não… coloca pragmatismo nisso!!!

    é bom ter opinião… eu também quero uma!!!

    “eu prefiro ser essa metamorfose ambulante do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo…”
    Raul Seixas
    :sleeping:

  4. Cátia Says:

    Sou contra o aborto,pois existem vários métodos contraceptivos para se evitar a gravidez e também sou contra a pílula do dia seguinte,acho que ela deveria ter um controle para ser vendida.Já trabalhei numa farmácia e essa pílula era vendida que nem doce, sem nemhum controle,principalmente em época de carnaval.
    Agora em casos de violência contra a mulher com queixa registrada,concordo plenamente com o aborto.Muitas pessoas não tem capacidade psicológica de conviver com uma situação dessas. :angry: :pinch:

  5. Mima Says:

    Em um país como o Brasil, falar de liberação de determinados procedimentos não apresenta teor tão simples assim. Estamos falando de uma nação sem educação, cuja saúde pública não funciona, assim como a maioria dos serviços públicos.

    Você imagina como seria? Consegue tirar uma fotografia das filas dos SUS lotadas de mulheres a espera de uma consulta para aborto? Ou mesmo, as pessoas entendendo que não há mais necessidade de fazer uso da camisinha ou outros contraceptivos por que “qualquer coisa eu aborto de graça”?

    Acho bom tratarmos desse tema dentro da universidade. Acredito na importância de discussões como esta. Mas coloco: Vamos repensar as mudanças colocando-as de maneira mais estruturada? Liberar o aborto e….

  6. Leonardo Nunes Says:

    sou contra o aborto
    pois além de ser um homicidio, existe mil metodos e cirugias que podem evitar uma gravidez.
    A camisinha, o DIO, pirulas hormonais e do dia seguinte, cirugias de esterização.
    Ser a favor do aborto é ser contra o direito a vida das pessoas. Essas pessoas que ão a favor são egocentricas e estupidas, pois eles tiveram a chance de nascer e não quererm que outras pessoas tenham a mesma chance. Imagine se vc não nascece por que sua mãe fez aborto contg?
    vc não estaria aqui agora!
    só isso

  7. Zilmar Alverita Says:

    Defendo a descriminalização do aborto no Brasil e a sua legalização.

    Acho que o Estado deverá, através do SIstema Único de Saude, fazer o atendimento a todas as mulheres que OPTAREM por interromper a gestação.

    Penso que o Estado deverá acompanhar a mulher e seu parceiro antes, durante e após a interrupção gestacional, com equipes bem formadas, além de disponibilizar os métodos contraceptivos necessários e adequados.

    Educação Sexual para decidir
    Contraceptivo para não abortar
    Aborto seguro para não Morrer!

  8. Gilson Dultra Says:

    Viva a diversidade!! Que bom ver aqui tantos argumentos explorando o tema sob múltiplos ângulos. Apesar do título: “Por que não liberar o aborto no Brasil?”. Em nenhum momento é sugerido que se “libere” o aborto e qualquer mulher possa fazê-lo a bel prazer e a qualquer tempo.

    Acredito que a descriminalização, devidamente regulamentada, seria mais positivo do que negativo no final das contas. Pois se o Estado “administra” o contexto de cada caso e acompanha mais de perto essas pessoas, ofertando os já citados apoios, teria-se maior controle sobre sua incidência e (principalmente) reincidência. A longo prazo, o Estado disporia de maiores condições para lidar com as situações…
    Em nenhuma hipótese esse assunto é (ou deva ser) tratado de forma “simples” ou leviana. Justo por sua complexidade, o risco é sempre alto e as consequências, dolorosas; seja para quem for abortar, seja para a família ou para a sociedade como um todo. A proibição é um faz-de-conta, cujas consequências são atrozes.

  9. jordao Says:

    Eu acho que o mundo está precisando de Deus :biggrin:

  10. Peterson Lobato Says:

    A solução não é legalizar o aborto;
    A solução é informação e também os direitos que todos deveriam ter: escola, trabalho, saúde, saneamento.

  11. Bruna Says:

    Eu sou totalmente contra o aborto… com tantos metodos para a mulher n

  12. Bruna Says:

    Eu sou totalmente contra o aborto… com tantos metodos para a mulher não engravidar… porque abortar? sou a favor dos métodos para evitar a gravidez… Não para interromper…
    uma vez eu ouvi uma história assim….

    Uma mãe certa vez, foi ao médico, seu ginecologista e falou que queria abortar, porque já era seu segundo filho e ela não tinha condições de te-lo.
    O médico falou para ela… tudo bem, então vamos matar esse primeiro filho e ter esse segundo…
    Porém a mulher criticou o seu médico.
    E o médico apenas respondeu, é simplesmente isso o que você vai fazer, matar um ser que não tem culpa de nada, a unica diferença é que um você ver e o outro está dentro de você, “o que os olhos não vê o coração não sente”!

  13. VANDA Says:

    minha querida bruna esta história não me comove, porque um bebê dentro da barriga da mãe dependendo da idade gestacional não sente dor, já o bebê que já nasceu ou esta preste a nasce é diferente.
    se minha mãe não tivesse condições de mim criar eu preferiria que ela me abortasse do que me te para eu fica sofrendo até porque todo mundo vai morre um dia eu preferiria morre assim do vive neste mundo tão triste.

  14. Mayara Says:

    EU SOU A FAVOR DO ABORTO!!!
    Seguinte postar aqui que são contra o Aborto é facil demais… falar de metodos contraceptivos… mas aqui ficar uma pergunta qntas pessoas ja engravidarão tomando pilula? VARIAS! Minha irma esta gravida e não qria de forma alguma a criança pelo fato de não ter condição financeira e aqui no brasil o aborto e crime mas não é crime mandar uma funcionaria temporaria embora ou ééé (?) Não é crime eles naum tem vinculo empregaticio… ela encotrasse desempregada desde o 4º mes de gestação. Na hora dos politicos votarem contra a liberação do aborto eles são otimos pq o salario deles esta la todo o mes e sempre com um aumento certo,entao pq eles ja que sao contra o aborto pq não criam um auxilio a gravida como enxoval alimentaçao creches ate as 21h principalmente para maes solteiras.. dai sim poderia ajudalas um pouco. e naum simplismente desamparar. Tbm como o aborto legal não teria tantas crianças na rua … usando drogas roubando… pq concerteza eles foram fruto de uma gravides indesejada! Parem e pensem um pouco antes de ir contra algo!

  15. Rafael Says:

    Tinha de ser liberado, absurdo isso, pais atrasado. Realmente, e se o método contraceptivo falha? Ainda assim a pessoa é obrigada? Fico puto com isso, as vezes a pessoa perde toda a chance que pode ter na vida por causa de uma gravidez indesejada, acaba ele passando fome e o filho indesejado que tem de nascer porque é obrigado. E questão de vida, um embrião é tão vivo como uma formiga ou gado, quero ver todo mundo parar de matar formiga ou gado para comer. Devia ser aprovado, com um tempo de gestação definido, uns dois meses é o suficiente, antes da formação do sistema nervoso.

  16. joão Says:

    o aborto ñ deve ser liberrado

  17. jennifer Says:

    estou estudando
    sobre aborto e farei um trabalho
    e digo que nao concordo com o aborto
    pois na hora do prazer o casal nao pensou em filho
    entao tem que se virar
    para cuidar da criança
    que nao pediu pra vir ao mundo

  18. bianca Says:

    sou afavor da liberação..
    muitas pessoas podem nem nota que no país que vivemos hoje,com ou sem liberação..o aborto é praticado livremente por muitas mulheres tanto pobres como ricas…mas com essa pratica apenas as pobres se prejudicam pois praticam o aborto sem nenhum cuidado,em lugares totalmente precarios,sendo que elas correm risco de vida…agora me diga..em momento algum o direito a vida é questinado,..
    todos temos direito a vida… mas sera que essas gravides indesejada,essas crianças dentro do ventre dessas adolentes que mal sabem o que querem da vida…será que essa crianças vão te uma vida digna….não relacionem a VIDA..como apenas no sentido de existência…mas sim jugue a VIDA no ato de pode-lá VIVER..pois essas crianças nas mairia das vezes são criados em periferia e acabam tornando-se em marginais no futuro…que poderam morrer…ou simplesmente ser mais um individo lotando as cadeias de nosso país…

Leave a Reply